Bócio Multinodular Tóxico

Bócio é um termo genérico usado para descrever o aumento no volume da glândula tireoide. Quando esse aumento se deve a nódulos que cresceram independentemente de estímulos da hipófise (hormônio TSH) e produz os hormônios T3 e T4 em excesso, estamos nos deparando com o Bócio Multinodular Tóxico.

Para saber mais sobre a tireoide e seus hormônios clique aqui.

A glândula tireoide é estimulada a produzir seus hormônios pela hipófise, uma glândula situada na base do crânio, conforme mostra a figura abaixo. A hipófise e o hipotálamo são responsáveis pela regulação da produtividade da tireoide, evitando que ela produza hormônios demais ou de menos. No bócio multinodular tóxico a tireoide se torna independente desses dois reguladores e ocorre proliferação de folículos da glândula formando nódulos que podem ser visíveis externamente.

hipofise

 

Os sintomas são os mesmos de um hipertireoidismos por Doença de Graves

  • Aumento do tamanho do pescoço (tireoide)
  • Fome excessiva
  • Aumento do ritmo intestinal
  • Nervosismo, insônia, labilidade emocional.
  • Tremores
  • Intolerância ao calor
  • Palpitações
  • Emagrecimento
  • Olhar vivo e brilhante
  • Pele quente e úmida
  • Unhas quebradiças, cabelo seco, quebradiço e encaracolado.

O diagnóstico é feito através das dosagens hormonais de T3 e T4 que se encontrarão elevados e do TSH que estará diminuído. A cintilografia pode mostrar os nódulos hiperfuncionantes da tireoide. O ultrassom também pode ser útil para a investigação.

Quando o bócio se torna muito grande causando problemas estéticos, compressão do esôfago ou traquéia dificultando ingestão de alimentos e respiração respectivamente o tratamento de escolha é a cirurgia com retirada da glândula aumentada. Em outros casos pode-se escolher o tratamento com medicações que controlam a função da tireoide como o metimazol e o propiltiouracil para posterior utilização do iodo radioativo.

A tireoide utiliza o iodo para a fabricação de seus hormônios. Ao se administrar iodo radiativo os nódulos hiperfuncionantes captam esse material e acabam se autodestruindo. A radiação emitida pelo iodo tem uma intensidade tão pequena que só consegue destruir a tireoide. Diversos estudos publicados por comunidades cientificas japonesas e americanas mostraram que o uso do iodo radioativo não aumenta o risco de câncer ou qualquer outra doença.

Fale Conosco

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida

Av. José Bonifácio, 1901 - Jardim das Paineiras - Campinas - SP,13092-305,Brasil

(19)3295-0392 e 3295-2088

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O que você procura?

Insulina Humana

A insulina humana (NPH e Regular) utilizada no tratamento de diabetes atualmente é desenvolvida em laboratório, a partir da tecnologia de DNA recombinante. A insulina chamada de ‘regular’ é idêntica à humana na sua estrutura. Já a NPH é associada a duas substâncias (protamina e o zinco) que promovem um efeito mais prolongado.

Análogo de Insulina

Um análogo de insulina é uma forma alterada de insulina, diferente de qualquer que ocorrem na natureza, mas ainda está disponível para o corpo humano para executar a mesma acção de insulina humana em termos de controle glicêmico.

Canetas Descartáveis

As canetas descartáveis, já vem carregadas com insulina e ao terminar seu uso são dispensadas e pega-se uma nova caneta, dispensa portanto a troca de refis, tornando o uso ainda mais simples.

Canetas Reutilizáveis

As canetas podem ser reutilizáveis, e que se compra o refil de 3 mL de insulina para se carregar na caneta. Neste caso é importante observar que as canetas são específicas para cada fabricante de refil.