Osteoporose e Osteopenia não são doenças exclusivas das mulheres.

meu-filho-tem-diabetesSaiba da importância  de se fazer o diagnóstico e tratamento adequados.

Osteoporose é uma doença que atinge tanto homens quanto mulheres, onde nosso organismo passa a produzir menos e reabsorver mais osso. A principal consequência dessa perda de massa óssea são as fraturas, que em casos mais graves da doença, podem até ocorrer sem causa aparente. O osso nos casos de osteoporose se torna frágil, poroso, perdendo grande parte da resistência, e isto acontece principalmente em alguns ossos principalmente os que formam a nossa coluna (vértebras) e ossos chamados de longos, como os das pernas (por exemplo o fêmur) e braços (por exemplo o radio, a ulna), e ossos que formam as costelas. A maioria das pessoas associa a osteoporose ao sexo feminino e ao período conhecido como menopausa, onde a parada na produção de hormônios sexuais femininos, conhecidos como estrógenos, leva a uma redução progressiva na massa óssea, aumentando o risco do desenvolvimento da doença ao longo dos anos. Mas tanto mulheres quanto homens podem ter a doença principalmente se alguns fatores de risco estiverem associados. São eles: a história familiar de osteoporose, o tabagismo, o abuso de bebidas alcoólicas, o uso prolongado de algumas medicações como corticóides, a idade avançada, e algumas disfunções hormonais como o hipertireoidismo, e outras que acometem alguns homens de forma precoce, como o hipogonadismo, onde o indivíduo reduz a produção de hormônios sexuais.


A osteoporose é uma doença que raramente dá sintomas, ou seja, a pessoa pode ter a doença já avançada e não sentir absolutamente nada, até a primeira fratura, que pode ser causada por um pequeno trauma, que em condições normais jamais levaria a uma fratura óssea. Dependendo do local da fratura, as conseqüências podem ser graves, como a fratura de uma vértebra por exemplo, que por compor nossa coluna, ao ser fraturada pode levar o paciente a ter sintomas graves como perda de força nas pernas e por vezes incapacidade para andar.

O melhor tratamento é a prevenção, ingerindo quantidades adequadas de cálcio e vitamina D (lembrando que a principal fonte de vitamina D é o Sol, e 10 minutos diários são suficientes para garantir níveis adequados da vitamina em nosso corpo). Além disso parar de fumar, não abusar de bebidas alcoólicas e praticar atibividades físicas. Independente das medidas preventivas, é importante realizar periodicamente o exame chamado Densitometria óssea, que consegue identificar quadros iniciais da doença (osteopenia) e, mesmo quando a osteoporose já está instalada, permite instituir o tratamento adequado de forma precoce e assim evitar a ocorrência de fraturas.

Lembrem-se: cálcio e vitamina D fazem parte da prevenção e são parte do tratamento da osteoporose, mas não substituem a necessidade do uso de medicações específicas para a doença. Atualmente existem medicamentos mais modernos que permitem que o pessoa com osteoporose possa fazer, muitas vezes o tratamento com o uso de um comprimido ao mês, ou até a cada 3 a 12 meses, no caso de alguns medicamentos injetáveis.

Por Dr. Alessandro Capatti – Clínica Dr. Walter Minicucci

Fale Conosco

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida

Av. José Bonifácio, 1901 - Jardim das Paineiras - Campinas - SP,13092-305,Brasil

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O que você procura?

Insulina Humana

A insulina humana (NPH e Regular) utilizada no tratamento de diabetes atualmente é desenvolvida em laboratório, a partir da tecnologia de DNA recombinante. A insulina chamada de ‘regular’ é idêntica à humana na sua estrutura. Já a NPH é associada a duas substâncias (protamina e o zinco) que promovem um efeito mais prolongado.

Análogo de Insulina

Um análogo de insulina é uma forma alterada de insulina, diferente de qualquer que ocorrem na natureza, mas ainda está disponível para o corpo humano para executar a mesma acção de insulina humana em termos de controle glicêmico.

Canetas Descartáveis

As canetas descartáveis, já vem carregadas com insulina e ao terminar seu uso são dispensadas e pega-se uma nova caneta, dispensa portanto a troca de refis, tornando o uso ainda mais simples.

Canetas Reutilizáveis

As canetas podem ser reutilizáveis, e que se compra o refil de 3 mL de insulina para se carregar na caneta. Neste caso é importante observar que as canetas são específicas para cada fabricante de refil.